De acordo com a reforma trabalhista que vigora desde novembro de 2017, a contribuição sindical passa a ser optativa, desobrigando assim trabalhadores e empresas a pagar o equivalente a um dia de trabalho por ano.

Antes a contribuição sindical era obrigatória com a nova lei, o empregado precisa comunicar ao empregador que deseja se filiar ao sindicato e dessa forma, terá o valor descontado na folha de pagamento.

Mas o que isso muda na vida de empregados e empregadores?

Quais são as vantagens e desvantagens de contribuir com o sindicato da categoria?

Conheça agora as particularidades do tema e como mostrá-las aos seus colaboradores!

Quais são as vantagens para um colaborador sindicalizado?

Profissionais sindicalizados podem usufruir de algumas vantagens, como por exemplo: assistência jurídica, médica, descontos em escolas, dentistas, colônias de férias, contudo, o principal ganho é quanto ao fortalecimento das negociações e acordos entre profissionais e empresas.

É importante ressaltar ao colaborador que não há benefícios sobre a legislação trabalhista atual, o que difere é que se feito acordos nos sindicatos, a negociação acaba sendo mais proveitosa junto à empresa, pois os acordos coletivos sobre as leis permitem maior adequação.

Então, quando apresentar as vantagens ao colaborador deve ser frisado quais os serviços que ele pode ter.

Existem várias instituições que proporcionam ao afiliado muitas vantagens quanto a lazer, saúde, qualidade de vida e isso no geral é excelente, uma vez que um colaborador feliz e realizado, trabalha, interage e se comporta melhor dentro e fora da empresa.

Podem existir desvantagens em ser sindicalizado?

Na verdade, existe sim, a primeira delas é a falta de liberdade de escolha pelo sindicato, uma vez que só é permitido um sindicato da categoria por município.

Outro grande problema são os sindicatos que não representam as necessidades e direitos de seus associados, que não oferecem serviços de qualidade, desinformados quantos as leis e que visam apenas o que convém!

Contribuição não obrigatória: bom ou ruim?

Na realidade a contribuição não obrigatória dá ao colaborador liberdade de escolha e cabe ao empregador junto com a contabilidade ajudar seus funcionários a entender se o sindicato referente a sua categoria é idôneo.

Mostre ao seu colaborador para onde vai o valor descontado em folha

Se o colaborador optar pelo pagamento da contribuição sindical, é importante indicar para onde vai o dinheiro.

De todo o total arrecadado com as contribuições é feito a seguinte partilha:

  • 5% para as confederações sindicais.
  • 10% para as centrais sindicais.
  • 15% para as federações sindicais.
  • 60% para o sindicato de base.
  • 10% para uma conta especial emprego e salário que se destina a programas sociais.

Perceba, é muito importante que você instrua seus colaboradores sobre o que eles têm de direitos e deveres e quais são as vantagens e desvantagens de ser afiliado ou não de um sindicato responsável pela categoria, sempre deixando claro que as convenções e acordos se aplicam a todos, sem exceção.

E de que existem sindicatos aos quais os benefícios não valem o desconto em folha, enquanto outros sim, possuem atrativos que podem ser aproveitados pelos colaboradores e seus familiares, que podem cuidar melhor da saúde e desfrutar do lazer.

Contudo, para entender na íntegra sobre os sindicatos que regem os colaboradores de sua empresa, procure a contabilidade e conte com ela para entender as particularidades das entidades sindicais e veja qual a melhor maneira de proceder com cada uma.

Uma comunicação clara e uma convivência pacífica é a melhor maneira de manter a ordem e harmonia entre todos!

Precisa de nossa ajuda?

Somos uma contabilidade online e estamos aqui para ajudar!

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.